Saltar al contenido
Economia Circular

Repsol e Tactotek vão desenvolver superfícies inteligentes com poliolefinas

  • A Repsol e a TactoTek querem ampliar o uso de poliolefinas em peças de elevado desempenho.
  • As duas empresas desenvolvem atualmente a tecnologia para fabricar superfícies inteligentes sobretudo para o setor automóvel.
  • No final de 2019, a Repsol passou a ter uma participação na TactoTek, através do fundo de investimento Repsol Corporate Venturing.
PDF 750 KB Descargar documento

Repsol e Tactotek vão desenvolver superfícies inteligentes com poliolefinas

A Repsol e a TactoTek pretendem ampliar o uso das poliolefinas em peças de elevado desempenho, como as superfícies inteligentes, que até agora apenas se concretizou com outro tipo de materiais plásticos. As poliolefinas são os polímeros mais utilizados no setor automóvel, devido à sua grande versatilidade e às suas superiores características físicas e mecânicas. Além disso, devido à sua ligeireza, têm um papel fundamental para proporcionar um menor consumo de energia e diminuir as emissões de carbono dos veículos.

No final de 2019, a Repsol passou a deter uma participação na startup finlandesa TactoTek, através do seu fundo de investimento Repsol Corporate Venturing. Atualmente, as duas empresas desenvolvem conjuntamente a tecnologia para fabricar superfícies inteligentes destinadas principalmente ao setor automóvel, utilizando poliolefinas, o que representa uma inovação em materiais que representará novas oportunidades de desenho e integração das diferentes peças que fazem parte do veículo.

A TactoTek, fundada em 2011 e com sede em Oulu (Finlândia), desenvolveu um processo de fabrico chamado “eletrónica estrutural por moldagem” ou IMSE™ (in-mold structural electronics, na sigla em inglês). Este processo inovador integra componentes eletrónicos impressos e eletrónicos padrão, como LEDs, peças moldadas por injeção 3D. Com a tecnologia IMSE, praticamente todas as superfícies finas plásticas podem tornar-se numa interface de utilizador, sem a necessidade de incorporar botões mecânicos ou outros controlos tradicionais.

Este desenho inovador, também conhecido plastrónica (eletrónica integrada em materiais plásticos), já está a ser utilizado na indústria automóvel, por exemplo, através da integração de controlos tácteis, conectividade sem fios e iluminação em painéis interiores de veículos; na eletrónica de consumo para proporcionar superfícies funcionais para qualquer tipo de dispositivo eletrónico; ou nos produtos denominados wearables, os dispositivos eletrónicos usados como roupa ou acessórios.

A Repsol já é fornecedora de múltiplos produtos para o setor automóvel, como combustíveis, lubrificantes e diferentes tipos de materiais poliméricos (polipropileno, polietileno e poliólis) para numerosas peças de interior e exterior dos veículos. Além disso, em linha com a sua estratégia de sustentabilidade, a empresa impulsionou um novo modelo de economia circular para recuperar materiais utilizados em automóveis que chegaram ao fim da sua vida útil. Deste modo, podem ser reciclados e incorporados novamente no processo de fabrico para obter novos materiais de elevado desempenho, dentro da gama Repsol Reciclex®.